Zox na Mídia

Criptomoeda

Guia para entender como funciona a criptomoeda

Publicado

em

A criptomoeda é uma moeda digital, um tipo de dinheiro que não tem interferência ou administração de governos. A criptomoeda mais conhecida do mercado é a Bitcoin, porém, a criptomoeda não se limita a ela, existe a Bitcoin Cash, Ethereum, Tether, Ripple e Litecoin. De maneira geral, a criptomoeda pode ser utilizada como um meio de pagamento tradicional, a diferença é que suas transações são digitais.

A primeira menção de criptomoeda está data em 1988, quando o engenheiro de computação Wei Dai, sugeriu que a criptografia fosse utilizada para emitir e controlar as transações efetuadas com um novo dinheiro, que não teria interferência de uma autoridade central. De 1988 para cá muitas inovações ocorreram e a criptomoeda tem ganhado cada vez mais destaque e uso no mercado.

Veja também:
Veja tudo sobre o empréstimo com garantia de veículo Porto Seguro
Descubra tudo sobre o empréstimo Portocred Consignado Público
Empréstimo consignado Itaú – Tire todas as suas dúvidas

Criptomoeda: do que se trata?

A criptomoeda é uma moeda digital, um tipo dinheiro que não é lançada no mercado por governos. Além disso, um exemplo é o Bitcoin, a mais conhecida moeda digital, mas existem outras, até porque a criptomoeda existe antes da criação do Bitcoin.

A menção das criptomoedas datam 1998, quando Wei Dai, deu a ideia de utilizar a criptografia para emitir e controlar as transações efetuadas com um novo dinheiro, que não teria interferência de uma autoridade central.

Qual a funcionalidade da criptomoeda?

A criptomoeda pode ser utilizada como um meio de pagamento, igual o dinheiro físico, sendo às três funcionalidades principais: reserva de valor, para conservar o poder futuro de compra; ser um meio de troca e tornar mais fácil as transações comerciais e ser utilizado como unidade conta, para quando os produtos forem precificados e o cálculo econômico é efetuado em encargo dela.

Mineração: do que se trata?

A criptomoeda representa um código inalterado e complexo, dessa forma, as transações com moedas digitais são asseguradas por criptografia, e como não existe uma autoridade central para conduzir essas transações, as mesmas necessitam ser uma a uma, validadas e registradas por um grupo de indivíduos, que utilizam computadores para registrar no blockchain.

O blockchain é um grande registro de transações, um banco de dados públicos, no qual está inserido o histórico das transações efetuadas com cada Bitcoin, e as outras moedas digitais são baseadas na mesma tecnologia. Nesse sentido, cada transação nova, por ser uma transferência entre dois indivíduos é verificada contra o blockchain, para garantir que a moeda digital, o Bitcoin não tenha sido utilizada antes por outro indivíduo, e quem registra no blockchain as transações são os mineradores que proporciona, a capacidade de processamento de seus computadores para conferir as transações com moedas e efetuar o presente registro, em compensação por isso recebem novas unidades de moedas.

A moeda digital Bitcoin é criada, quando os milhares de computadores que integram essa rede tem a capacidade de solucionar problemas matemáticos complexos que certificam a validade das transações inseridas no blockchain, sendo assim, a mineração caracteriza a criação de unidades novas de tipos de criptomoedas, e se um número maior de computadores passam a ser utilizados para elevar a capacidade de processamento destinado à mineração, os problemas matemáticas que devem ser solucionados se tornam mais complexos e isso ocorre para limitar a mineração.

Como é a variação de valores da criptomoeda?

A variação de valores da criptomoeda, ocorre de acordo a lei da oferta e demanda, nesse contexto, quando a moeda digital ganha mais destaque, é comum que os investidores a procurem mais, assim a quantidade de compra aumenta e consequentemente seu preço também. 

No mercado existe uma quantidade limitada de bitcoins circulando, e os bitcoins novos são desenvolvidos em uma taxa decrescente e previsível, dessa forma, a demanda deve seguir esse nível, para que o preço estável se mantenha. 

Tipos de criptomoedas

Bitcoin

O Bitcoin surgiu em 2008 e foi o primeiro sistema de pagamento mundial descentralizado, consequentemente é a moeda digital mais conhecida até hoje. O Bitcoin surgiu num contexto de crise financeira mundial, que começou com o mercado de hipotecas americano, assim para eliminar a interferência de bancos no intermédio das transações financeiras e substituir o dinheiro físico, foi criado o bitcoin.

A primeira prova de conceito e especificação do Bitcoin foram publicados por Satoshi Nakamoto, nome utilizado para denominar um programador ou equipe de programadores não identificados até hoje, em um artigo. Satoshi Nakamoto criou a lógica de funcionamento do blockchain, o sistema que permitiu a criação do Bitcoin, e em seu artigo, o mesmo determinou que no máximo existirão 21 milhões de bitcoins circulando no mundo, a previsão é que a última moeda digital Bitcoin seja minerada em 2140.

Bitcoin Cash

O Bitcoin Cash foi desenvolvido em agosto do ano de 2017, como uma versão nova do Bitcoin tradicional, tentando aperfeiçoar o Bitcoin original, que possui taxas maiores e precisa de um elevado tempo de processamento em cada transação. 

O Bitcoin Cash tem um tamanho de bloco limite maior do que o Bitcoin original, pois enquanto o original conta com 1 MB, o Cash conta com 8 MB, ou seja, as operações têm taxas menores, e podem ocorrer mais rápido. 

Por último, as regras de funcionamento de ambos são parecidas e conta com um limite de 21 milhões de criptomoedas Bitcoins e Bitcoins Cash.

Ethereum

O Ethereum é uma nova versão do Ethereum Classic que conseguiu ser invadido e roubado, assim decidiram criar uma rede e a moeda de circulação passou a se chamar Ethereum.

O Ethereum é uma plataforma descentralizada e usada para efetuar os contratos inteligentes, ou seja, transações efetuadas automaticamente, quando determinadas condições são cumpridas. 

A criação de novos Ethereum é baseado na mineração, e a base para validar operações é o blockchain, assim evita fraudes e é seguro.  Atualmente, a Ethereum  vale mais do que a versão original, e está entre as moedas digitais mais negociadas do Globo.

Tether

A criptomoeda Tether foi desenvolvida em 2014, por uma instituição com o mesmo nome, sendo uma stablecoin, uma vez que tem lastro em uma moeda física.

O funcionamento da Tether é o seguinte, a cada Tether emitido, é necessário existir um dólar em caixa equivalente, não necessariamente um dólar, pode ser também por ativos, equivalentes de caixa ou recebíveis de empréstimos realizados pela empresa Tether a terceiros.

A criptomoeda Tether é estável e representa no mundo digital, moedas físicas. Predominantemente, a criptomoeda Tether é negociado na Bitfinex, uma bolsa de criptomoedas grande, que conta com executivos e acionistas em comum com a empresa que controla a presente moeda digital.

Litecoin

O Litecoin foi desenvolvido em 2011, e seu processo de mineração procura diminuir o tempo usado para confirmar as operações realizadas com a moeda. A finalidade é que seja facilitado o processo de desenvolvimento de Litecoins novos, e qualquer pessoa possa fazer parte. Sendo assim, o Litecoin é mais indicado para transações do dia a dia, projetado para produzir 84 milhões de criptomoedas.

Ripple

O Ripple foi criado em 2012, e se trata de uma moeda e sistema, onde moedas diversas podem ser negociadas, assemelhando-se a instituições bancárias, pois aceitam ativos diversos e facilitam as operações. 

Desse modo, a Ripple se diferencia das outras criptomoedas, por ter uma certa dependência do sistema financeiro tradicional para efetuar transações e não existir mineração.

Vantagens das criptomoedas

  • Liberdade para pagar ou receber instantaneamente qualquer quantia, em qualquer lugar;
  • O núcleo do Bitcoin é transparente, neutro e previsível;
  • Maior segurança, pois os pagamentos não precisam ter dados pessoais do usuário, e o dinheiro pode ser protegido com criptografia e cópias de segurança;
  • Taxas menores e às vezes nulas.

Riscos das criptomoedas

  • Poucos locais aceitam as criptomoedas como forma de pagamento;
  • É necessário que os usuários tenham cuidado para não perder seus Bitcoins, sendo necessário cifrar sua carteira, para que malwares não roubem os bitcoins;
  • Volatilidade nos preços.

Como investir em criptomoedas?

  1. Negocie com um corretora especializada diretamente, as chamadas Exchanges;
  2. Compre cotas de fundos de criptomoedas;
  3. Minere criptomoedas;
  4. Aceite as criptomoedas como forma de pagamento de um negócio.

Publicidade